Mendonça e João apresentam suas chapas

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Foi dada a largada para a campanha eleitoral pra valer. O Domingo em Belo Jardim foi de demonstração de força pelos dois principais grupos políticos da cidade.


No final da manhã, Mendonça Filho reuniu em seu palanque os suplentes e ex-vereadores, ex-vice-prefeito, ex-secretários...) para apresentar Raquel Lyra como sua candidata. A princípio eu imaginei que houvesse reciprocidade da filha do governador em apoiar Mendonça em Caruaru. Ledo engano. O apoio passa apenas por Belo Jardim. Na capital do Agreste, Raquel faz campanha para Woney Queiroz, filho do prefeito de lá.

Se por um lado é verdade que Mendoncinha e seu grupo sempre pregaram o voto em pessoas DA CIDADE, também é verdade que MF fez o possível para selar uma aliança com o grupo de Cintra Galvão. Estava disposto inclusive a votar em Cecílio e apoiá-lo como candidato a federal. Como a conversa não avançou devido à teimosia e prepotência do Pavão, o acordo miou.

Raquel tem uma eleição tranquila. Deve estar entre os 4 mais votados no estado.

O fato que mais chamou a atenção, e eu nao poderei deixar passar despercebido foi a ambiguidade de Mendonça na hora de falar de seu candidato a Presidente.

Vale lembrar que a maioria esmagadora do grupo queria Mendoncinha apoiando Armando, e não Paulo para o governo. A justificativa do presidente do DEM era verdadeira e convicente: como líder do DEM na câmara, não poderia se juntar ao PT, que está na chapa de Armando.

Pois bem. O argumento deveria valer para a hora de assumir seu apoio a Aécio a presidente. Como líder do DEM, que apoia nacionalmente Aécio, Mendonça tem o dever de apoiar o tucano.

Qual não foi minha surpresa quando encontrei o seguinte material de Mendonça, com o nome de EDUARDO PARA PRESIDENTE.


Esperei que pudesse ser um erro crasso de alguém, e que MF desfaria o mal entendido em seu discurso. Enganei-me de novo. O ex-governador, derrotado por Eduardo, assumiu sem pudor nenhum toda sua admiração pelo governo que Campos fez e disse exatamente essas palavras: "EDUARDO MERECE O VOTO DE TODOS OS PERNAMBUCANOS".

Cai por terra então a justificativa para não apoiar Armando. Ora, se não pode apoiar Armando porque o DEM é adversário do PT, também não pode apoiar Eduardo, nem fazer material com o nome dele, porque o DEM é aliado do PSDB de Aécio.

A tarde foi a vez de João Mendonça apresentar o mais novo belojardinense desde criancinha, Bruno Araújo, seu federal, e Guilherme Uchoa, estadual.

Uchoa vem frequentando Belo Jardim há anos, desde que se tornou o patrocinador número 1 das tentativas de JM se manter no poder, uma vez que tem condenações que deveriam impedi-lo até mesmo de ser candidato.

Fanfarrão, resolveu agredir Mendoncinha em seu discurso, esquecendo ele que seu patrão, Eduardo Campos, e o Democrata, estão no mesmo palanque e seu discurso seria desautorizado se proferido na frente do chefe. Ao afirmar que Mendoncinha não fez nada pela cidade quando foi governador não foi aplaudido nem mesmo por João, que sabe ser mentirosa essa afirmação.

Para federal, depois de muito puxincói, quando se falou em Sérgio Guerra, defunto, depois André de Paula, resolveu-se que JM fica com Bruno Araújo, filho de pai nativo daqui. Bruno leva para o palanque de João o empresário Moacyr da Agrolar. A impressão que se tem é que a qualquer momento Moacyr vai se confundir e comparecer ao evento do grupo errado, porque, a cada eleição, ele está de um lado diferente. Hoje seu nome já é especulado para ser candidato a vice-prefeito na chapa do escolhido de JM para disputar a prefeitura. Vale lembrar que BRUNO vota AÉCIO para presidente.

Os vereadores CLAUDEMIR, EUNINHO, PATRÍCIA e DA PAZ, que foram eleitos OU PELO DEM OU COM O DINHEIRO DO DEM DE MENDONCINHA, estavam todos lá sorridentes e tirando retratos com os seus novos deputados. É bom começarem a pedir para que Bruno patrocine suas campanhas em 2016. 



Claudemir chegou a dizer por um bom tempo que seu federal seria Mendoncinha. Mais uma vez não cumpriu sua palavra. E ninguém esperava o contrário desde que ele, ainda na campanha, dizia que não sabe ser vereador de oposição.


Patrícia, cujo filho adoecia toda vez que João Mendonça ia a sua casa, segundo palavras de seu esposo Wilsinho, é outra que não tinha uma única razão para não votar em Mendonça, mas prefere os cargos que tem na prefeitura à dignidade de se manter leal a quem se manteve leal a ela e a seu esposo.


Já a vereadora Da Paz tem bons motivos para estar aliado a João Mendonça. Afinal, seus três filhos e vários de seus cabos eleitorais têm bons espaços na gestão. Um apoio dela ao candidato de JM a prefeito em 2016 dá pra engolir. No entanto, não apoiar Mendoncinha para deputado federal não é apenas ingratidão política. É ingratidão pessoal. O marido dela, Pedro Taboquinha sabe bem do que falo. Tanto sabe e tanto concorda que segue firme e forte, embora sem dar um único voto além do seu, ao lado de Mendonça.

A política é uma roda gigante. Quem está em cima uma hora terá de ficar embaixo. A não ser Euninho, que não importa quem seja o prefeito será aliado fiel dele.


3 comentários:

Aroldo Campos disse...

Realmente, a politica de Belo Jardim é um grande nojo.

Anônimo disse...

Wagner, parabéns pelo site/blog que você representa, além da qualidade das postagens anexadas.
Quanto a postura do Euninho, vide o PMDB, que desde Collor não sai do poder em brasilia (também com b minusculo)
Cícero Rufino da Silva
cicero@area-alphaville.org.br

Anônimo disse...

Eita fedor danado! Essa política fede demais! Nojo. Eca!!!!!!!