Mendonça e o apoio a Paulo Câmara

segunda-feira, 17 de março de 2014


Caros e parcos,

Muita gente com quem converso não entende, não concorda e me indaga o que acho do apoio anunciado por Mendonça Filho ao candidato do PSB, Paulo Câmara, ao governo do Estado. Vamos lá...

O DEM elegeu Mendonça como seu líder na Câmara dos Deputados. Tal papel tem lhe dado muita visibilidade, inclusive internacional. É uma função muito importante e pra lá de útil, ainda mais em véspera de uma eleição tão difícil que Mendonça terá pela frente. Estou seguro que os que me leem, sejam eleitores do DEM, do PTB ou do raio que o parta, acham importante que Belo Jardim tenha uma figura de destaque e com cargo eletivo. Imagino assim que mesmo os que não votam não esperem uma derrota de MF. O papel de líder coloca Mendonça em rota de colisão constante com o PT (como sempre foi, aliás). Além disso, o DEM tem uma norma que veta alianças em torno de candidaturas do PT.

Não bastasse isso, praticamente todos os aliados que Mendonça teve ao longo dos últimos anos caminharam na direção de apoiar o PSB. Chegamos ao ponto de ter Jarbas pedindo votos para Eduardo. Mendonça foi bravo e segurou-se na oposição até onde pôde. Enquanto todos caminhavam para debaixo das asas de Eduardo, o DEM seguiu sendo oposição. E seguirá até o dia 31 de dezembro, último dia da gestão de João Lyra. Eduardo Campos foi quem caminhou no sentido contrário e se aproximou da oposição ao PT (entre ela, o DEM). 

Enquanto isso, as candidaturas ao governo do Estado foram se estabilizando e a briga se polariza entre o PSB, com a criatura de Eduardo, Paulo Câmara, e o PTB, com Armando Monteiro. Muitos esperavam que MF se aliasse a Armando, uma vez que parte do DEM já votou nele para o senado em 2010 (o próprio Mendonção, que não gostava do candidato do PPS, Raul Jungman). Além disso, em algumas cidades Mendonça Filho busca aliança com aliados do PTB, como em Santa Cruz e na Terra das Muriçocas mesmo, onde a paquera com o grupo de Cintra poderá render uma aliança política. Nenhum outro candidato competitivo se apresenta. Até mesmo o PSDB abriu mão de indicar Daniel coelho e se juntou ao PSB.

No entanto, apesar de todos os indícios, MF fechou com o candidato de Eduardo, o que surpreendeu e desgostou muitos. Listo a seguir alguns dos motivos que, a meu ver, influenciaram MF em sua decisão:

- Todos os analistas políticos indicam que a aliança em torno de Paulo Câmara fará pelo menos 15 deputados, e a de Armando, no máximo 10;

- À época da decisão, imaginava-se que o PT indicaria o candidato a vice de Armando. Agora decidiu-se que será o senador (o ex-prefeito de Recife João Paulo);

- O DEM proíbe alianças em torno de candidaturas do PT;

-Mendonça, dia sim e dia também, bate no governo do PT. Como aliar isso a uma campanha como a de Armando, que terá como Slogan: “ESTAMOS COM A PRESIDENTA DILMA”?;

- Se por um lado, em Belo Jardim e Santa Cruz, os aliados de MF votam em Armando, por outro, os eleitores dele em quase todas as outras cidades votam em Eduardo. Belo Jardim não é o centro do universo.

Em síntese: As chances de eleição para MF são bem maiores na chapa de Câmara que na de Monteiro; Eduardo hoje está mais próximo do DEM que do PT; Armando está muito mais próximo, e defende a gestão, do PT.

Os motivos para se aliar a Paulo Câmara são muito maiores que para se aliar a Armando. Não vejo, no entanto, razões para que se feche questão em torno dessa decisão. Acredito que o caminho é deixar as bases eleitorais livres para escolherem. E lembre-se uma coisa mais: para presidente, Mendonça está com Aécio. Eduardo, no segundo turno, também estará com Aécio. Em hipótese alguma, Mendonça irá apoiar Eduardo no 1 turno





7 comentários:

Aroldo Campos disse...

Com esse texto você mostra que Mendonça é um vendido, pois poderia muito bem ficar neutro, mais ele sabe muito bem o risco que corre, lembro na eleição para diretor do IFPE campus Belo Jardim, que disse a você que um dia te veria pedindo votos pra Eduardo, acho que esse dia chegou. Mendonça tá na verdade é com medo de Eduardo esmagar de vez o DEM.

Anônimo disse...

Bestinha botou lá: "pode haver uma rebelião de vereadores". Mas fácil é o mar cecar. Afinal os vereaodores são do prefeito.Oxe ô conversa sem futuro. Quem manda nos vereadore( na maioria) é João e pronto.

Anônimo disse...

POLÍTICA É UMA ARTE CANINA:VIVEM BRIGANDO ENTRE SI, MAS NA NECESSIDADE, PODE-SE CHEIRAR OS CUS E VER SE HÁ ALGUMA VANTAGEM.

Wagner Rafaell Peixoto disse...

Aroldo, se engana duas vezes. Nem me verá pedindo votos para Eduardo, pq Mendonça e eu apoiamos Aécio para presidente. E votarei em Armando para o governo, descumprindo orientações do partido. E o DEM não poderia ter candidatos se não se aliasse a um candidato... ou era Armando com o PT ou Câmara... o japonês ou o africano. Ele preferiu o japonês

Anônimo disse...

kkkkkkk... "Professor" e vc tem opinião própria? Não esta sempre na defesa de "ideologia" política? Hipócrita!!!!!!kkkkkkk...

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk..pediu arrego se n ele n iria se eleger. e tu fala como se fosse um dos lideres do partido! me polpe.

Anônimo disse...

“O seu Mendonça seu Mendoncinha, pegou o dinheiro cadê as galinhas, que coisa mais feia seu governador quem canta de galo é o eleitor”.
E agora Eduardo é o bom? É quem fala a verdade?
Mendonça filho não vai se reeleger deputado Federal!